Vasectomia: Rápida, indolor e barata, cirurgia é coberta pelo SUS e convênios

O casal Augusto Modesto e Carla Robatto planejou ter dois filhos. Quando este objetivo foi alcançado, o urologista e a dentista decidiram que a vasectomia seria o melhor método para evitar uma nova gravidez, já que a cirurgia seria rápida, com pouca dor no pós-operatório e retorno rápido ao trabalho. A vasectomia também foi a escolha do casal de médicos Breno e Marta Dauster, tanto por considerarem o procedimento bem menos agressivo do que a laqueadura tubária quanto pelo desejo de suspender os efeitos colaterais da medicação hormonal que a esposa tomava como contraceptivo. Desde 2018, o número de vasectomias é maior do que o de laqueaduras no Brasil. 

Tanto Augusto Modesto quanto Breno Dauster foram operados por seu colega de profissão, o urologista Maurício Sanches Jorge, defensor do planejamento familiar com responsabilidade. Ele conta que a procura pelo procedimento tem aumentado muito nos últimos anos porque está cada vez mais fácil fazê-lo através dos convênios e até pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e também porque é rápido, indolor, de fácil recuperação e de baixo custo. 

A vasectomia interrompe o fluxo de espermatozoides produzidos pelos testículos e que normalmente seriam conduzidos pelo sêmen durante a ejaculação. Apesar de poder ser revertida, através de microcirurgia, a cirurgia é considerada um método contraceptivo definitivo. Por isso, é indicada para homens que já possuem no mínimo dois filhos vivos ou que tenham pelo menos 25 anos de idade. É importante que o casal esteja em comum acordo em relação à decisão.

Rumores – Embora seja um método muito eficaz, muitos homens não se submetem a ele por acreditarem equivocadamente em rumores de impotência sexual. A verdade é que “a vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos e,  o desempenho sexual pode até melhorar devido a segurança que o método oferece”, explicou Maurício Sanches Jorge, que toda semana realiza um bom número de vasectomias no Hospital São Rafael, onde atua. 

Seu paciente Breno Dauster contou que se submeteu à vasectomia quando seus dois filhos tinham dois e três anos, respectivamente. “O procedimento foi realizado sob sedação e não senti nada. Quando acordei, me alimentei e voltei para casa. Fui operado no final da tarde de uma quarta-feira, após um dia de trabalho normal. No dia seguinte, operei pacientes pela manhã e atendi outros em consultório à tarde. Senti apenas um leve desconforto na região genital, controlada com analgésico simples, e suspendi apenas as atividades físicas por 10 dias. Enfim, achei muito tranquilo. Hoje, após sete anos da cirurgia, continuo achando que foi uma ótima opção”, relatou.

Reversão de vasectomia – Segundo Maurício Sanches Jorge, a reversão da vasectomia deve ser evitada ao máximo, mas há certos casos em que o procedimento acaba sendo uma alternativa. “Quando o paciente perde um filho após a vasectomia ou se casa de novo com uma mulher mais jovem sem filhos ou melhora sua condição socioeconômica e passa a ter condições de ter outro filho antes desejado e evitado pela condição anterior, por exemplo”, mencionou.

A reversão da vasectomia, que não é coberta pelo SUS nem por planos de saúde, geralmente, gera estresse emocional e pode significar que o planejamento familiar não foi bem feito. Antes da cirurgia, os pacientes devem ser bem orientados, para minimizar as chances de arrependimento da vasectomia, inclusive porque  a chance de insucesso da reversão é bem maior do que a da vasectomia”, completou Jorge.

 

Dr. Maurício Sanches Jorge

Robótica Bahia – Os médicos Maurício Sanches Jorge, Breno Dauster e Augusto Modesto, citados anteriormente, integram a equipe do Robótica Bahia – Assistência Multidisciplinar em Cirurgia, um grupo de médicos lançado em 2020 com o objetivo de difundir a cirurgia robótica na Bahia. O vínculo de confiança e amizade entre eles, existente há muitos anos, facilitou a escolha de Maurício para operar os outros dois urologistas.  Além da união dos componentes, são diferenciais do grupo a diversidade de especialidades e o desejo de democratizar o ensino e a pesquisa relacionados à tecnologia robótica, a fim de ampliar sua utilização no estado. Mais informações sobre o RB estão disponíveis no site roboticabahia.com.br e nos perfis do grupo no instagram (@roboticabahia) e facebook (/roboticabahia). 

Fotos: Divulgação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *