Vereador Odiosvaldo Vigas diz que realização de testes para o Covid-19 deve ser estatégia de política de saúde pública

O vereador e médico Odiosvaldo Vigas (PDT) alertou hoje (02) que a Covid-19, transmitida pelo Novo Coronavírus através de contato interpessoal, traz um grande desafio ao Serviço de Saúde Pública. E nessa situação, ele questiona como devem ser feitos o planejamento e a estratégia epidemiológica para se enfrentar o vírus que por sua vez está associado ao comportamento das pessoas.

Ele frisa que não existe ainda tratamento específico para o combate à doença, apesar das diversas pesquisas e usos de imunoterapia passiva (plasma sanguíneo), hidroxicloroquínica – realizada pelo médico Álvaro Avezun, emprego de corticóide e de anticoagulantes em pacientes hospitalizados. Salienta que a maior esperança da população é pela prevenção por meio de vacinação, que vem sendo pesquisada em diversos países, inclusive no Brasil, mas mesmo com todos os esforços da ciência, a solução não aparece de um dia para outro.

Criação de Centros de Testes Rápidos e Moleculares

Odiosvaldo Vigas acrescenta que no Brasil, lamentavelmente, faltam testes e que estes deveriam ter seu uso definidos em razão das poucas quantidades do material dirigidos aos estados e municípios, frisando que os testes devem ser encarados como política de saúde pública, considerando-se a fase da doença em Salvador e a redução do percentual das pessoas que estão em isolamento social. Cita também a pressão econômica e política para que Salvador retome o seu cotidiano de vida normal, sendo imprescindivel que a cidade realize mais testes.

Diante desse quadro, o pedetista propõe a criação de vários Centros de Testes Rápidos e Moleculares, observando que a Secretaria Municipal da Saúde de Salvador (SMS) é capaz de realizar parcerias com as universidades públicas e privadas, centros de pesquisas, Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) visando a realização de análises epidemiológicas para a cidade voltar ao normal. Diz, porém, que a qualidade dos testes devem ser validados pela Anvisa, citando um estudo de investigação familiar em que para cada teste positivo, são 12 contaminados.

Empresas devem fazer testes nos seus empregados

O vereador diz que fica estarrecido ao saber pelo noticiário que faltam testes nas unidades de saúde. “Assim estamos numa situação primária de enfrentamento da doença, o que implica em não termos noção da prevalência do vírus”. Ele diz que junto com a medida do Ministério da Saúde que autoriza as farmácias a realizar as testagens, se faz necessária a articulação dos estabelecimentos com o Sistema de Saúde Pública. “Isso para que façam as ações seguintes do ponto de vista médico e epidemiológico. E ao mesmo tempo pergunto quantas farmácias estão aptas a relizar esse procedimento”.

Por fim, o edil sugere que as farmácias realizadoras dos testes sejam identificadas pela SMS. Defende ainda que o prefeito ACM Neto e a SMS encontrem uma forma legal para que as pequenas, médias e grandes empresas e de outras atividades comerciais sejam orientadas a realizar testagens em seus empregados.

Síntese das propostas do vereador Odiosvaldo Vigas:

1 – Realização de testes para o Covid-19 deve ser estatégia de política de saúde pública;

2 – Criação de Centros de Testes Rápidos e Moleculares;

3 – Empresas devem fazer testes nos seus empregados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *