Vergonhoso, o Brasil é o país que mais gasta com partidos políticos

Atenção sociedade: LEI QUE RESOLVE MUITOS PROBLEMAS: LEI-TURA!

A falta do exercício de cidadania ajuda a CORRUPÇÃO do dinheiro público nos Três Poderes Constituídos. Só para conhecimento da nossa sociedade, leia o que está escrito e o que garante ao cidadão a CARTA MAGNA DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL em seus artigos 1º, 2º, 3º, 5º e o 37º. Porém a omissão da sociedade contribui para a prática da corrupção e a malversação do dinheiro público por membros dos Poderes da União.

“TITULO I DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos – a soberania; II – a cidadania; III – a dignidade da pessoa humana; IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; V – o pluralismo político.

Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I – construir uma sociedade livre, justa e solidária; II – garantir o desenvolvimento nacional; III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS – CAPÍTULO I

DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – SEÇÃO I

DISPOSIÇÕES GERAIS

”: Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte”

É vergonhoso e imoral o Fundo Partidário aprovado no Congresso Nacional e a sociedade omissa como sempre aceita sem qualquer reação mais uma imoralidade no uso do dinheiro público.

A aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias pelo Congresso, na quinta-feira, 15 de julho, jogou luz sobre o modo como é feita a distribuição de dinheiro público aos partidos no País. Apesar da repercussão negativa, por ter sido discutida em meio à crise sanitária, o volume dos recursos que os parlamentares destinam às próprias siglas é, há tempos, sem precedentes quando comparada com a realidade de outras democracias.

“Um estudo do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), que reuniu dados de 35 nações entre 2012 e 2020, aponta que o Brasil é o país que mais envia dinheiro público para partidos e campanhas políticas”.

Juntas, as siglas brasileiras recebem, em média, US $446 milhões por ano (R $2,2 bilhões) dos fundos eleitoral e partidário. No ano que vem, quando serão realizadas as eleições estadual e federal, o montante será de R $5,7 bilhões graças à LDO aprovada pelos Deputados Federais que os eleitores elegem e reelegem.

A cifra, sem descontar a inflação, representa um aumento de 185% em relação ao valor que os partidos obtiveram em 2020 para as disputas municipais, o equivalente a R $2 bilhões. Uma pergunta aos Deputados Federais e Senadores, quando o Congresso irá votar um aumento de 185% para a EDUCAÇÃO? POVO EDUCADO PAÍS DESENVOLVIDO!

Aprendi que tudo na vida para o bem de todos tem que haver limite, disciplina, responsabilidade, zelo e compromisso com a coisa pública, infelizmente a sociedade não tem bons exemplos e respeito pelos representantes dos Três Poderes Constituídos. Por esta razão, convoco a sociedade para exigir do governo e Congresso Nacional limitar o número de Partidos políticos no País em 5 (cinco), sendo: Direita, Centro direita, Esquerda, Centro esquerda e um de Centro para moralizar o Sistema eleitoral no Brasil.

A CRIAÇÃO DE PARTIDOS VIROU BALCÃO DE NEGÓCIOS COM O DINHEIRO PÚBLICO EM FUNÇÃO DO FUNDO PARTIDÁRIO. PRESIDENTE BOLSONARO O SENHOR IRÁ SANCIONAR ESTA LEI IMORAL E ILEGAL?

SOCIEDADE, A CPI DO ELEITOR É O TÍTULO, ARMA QUE O ELEITOR BRASILEIRO NÃO SABE USAR. MUDAR DOÍ, SÓ ASSIM OS POLÍTICOS APRENDEM A NÃO CONTINUAR FAZENDO O ELEITOR DE BOBO DA CORTE. ELEITORES ESCOLHAM UMA DAS DORES NA ELEIÇÃO DE 2022 E PAREM DE RECLAMAR. SEJA A MUDANÇA!

ALDERICO SENA – Bacharel em Teologia Sociedade e Política, Especialista em Gestão de Pessoas, Coordenador de Pessoal da Assembleia Estadual Constituinte 1989 e Ex-Vice Presidente da Executiva Municipal do PDT da Cidade do Salvador – www.aldericosena.com 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *