Voluntários contribuem na prevenção de danos em áreas de risco

Quando o período de chuvas mais severas na capital baiana tem início, os Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec) começam a se mobilizar nas áreas de risco da cidade. Os núcleos são fruto de uma parceria entre o poder público municipal e a sociedade civil. Desenvolvido pela Defesa Civil de Salvador (Codesal), o projeto é uma das ferramentas usadas pelo órgão para gerar proteção às comunidades soteropolitanas que mais precisam nos períodos chuvosos.

Por meio destes grupos são formados voluntários para atuar nas áreas de risco da capital baiana, contribuindo na prevenção e redução de acidentes. Desde 2016, a Codesal já formou 57 Nupdecs, com a capacitação de 2.457 moradores em comunidades como Baixa do Tubo, no bairro de Cosme de Farias; Pedro Ferrão, localidade que fica entre a Liberdade e São Caetano; Baixa de Santa Rita, em Pau da Lima; e Bom Juá.

Valdenia Cruz dos Santos, 53 anos, é voluntária há cinco anos e atua em Mamede (Alto da Terezinha), onde reside há mais de duas décadas. Ela acredita que o voluntariado é essencial para ajudar a reduzir o impacto das chuvas na comunidade.

“Eu me sinto produtiva ajudando meus vizinhos e, em troca, Deus sempre me fortalece. Às vezes, o técnico da Codesal não conhece as pessoas e com um voluntário para acompanhar, facilita muito o trabalho. No dia que acionou a sirene aqui fiquei até às 4h da manhã ajudando meus vizinhos. Eu faço porque gosto, não espero nada em troca”, declarou.

Capacitação – A capacitação dos voluntários tem carga horária de nove horas e aborda temas como a importância da Codesal e o funcionamento do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC), técnicas de primeiros socorros, percepção de riscos e como agir em caso de desastres. No decorrer das atividades, os moradores vão ampliando a percepção para fatores de riscos presentes nas áreas de encostas, contribuindo para a redução das ocorrências.

O diretor geral da Codesal, Sosthenes Macêdo, reforçou o quanto o projeto educativo contribui para levar informação aos cidadãos. “Com os núcleos conseguimos aproximar a Defesa Civil das comunidades. Entendemos as demandas que podem reduzir os riscos nestas áreas e orientamos os voluntários para que possam ajudar seus vizinhos em período de chuva intensa, como tivemos na primeira quinzena deste mês”, afirmou.

“A formação de Nupdecs tem um significado de extrema relevância no processo de mitigação de riscos. Isso porque, a partir do momento em que a comunidade é envolvida no planejamento e no gerenciamento de riscos, há uma resposta positiva que se inicia desde a prevenção até a reconstrução dos cenários afetados”, pontuou a subcoordenadora de Ações Comunitárias e Educativas da Codesal, Simone Café.

Voluntários mirins – Para que as crianças também possam ser multiplicadoras e agentes de transformação nas suas famílias, a Codesal criou o Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil Mirim (Nupdec Mirim). A iniciativa, voltada para o público infanto-juvenil, teve sua primeira turma formada em dezembro do ano passado. De lá para cá já foram criados cinco Nupdecs Mirins, com 73 crianças capacitadas, nas comunidades Nova Direta (Boa Vista do Lobato), Mamede (Alto da Terezinha), Arraial do Retiro, Bosque Real (Sete de Abril) e Baixa do Cacau (Lobato).

Foto: Paulo Azevedo/Codesal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *