Workshop sobre tecnologia prepara policiais e tira dúvidas sobre reconhecimento facial e de placas

A apresentação das funcionalidades dos sistemas de Reconhecimento Facial e de Placas da SSP, ao longo do ‘Workshop Colaborativo do Projeto Vídeo Polícia’ abriu espaço para que policiais que integram o CPR Sudoeste tirassem dúvidas e alinhassem as diretrizes operacionais de utilização das novas tecnologias.

Apresentar como funciona , saber quais protocolos e ações serão adotados pelos Centros Integrados de Comunicação (Cicoms) do Sudoeste – responsáveis por centralizar as demandas 190 e receber os alertas de reconhecimento facial e de placas dos municípios -, além de desmistificar os processos foram alguns dos destaques do encontro.

“Esse momento foi importantíssimo para que eles pudessem, de fato, saber com o que irão lidar daqui pra frente. Estaremos acompanhando todo o processo e, mesmo quando for efetivamente implantado o sistema em toda a região, estaremos acompanhando de perto”, disse o major Jeferson Araújo, gerente do projeto Vídeo Polícia Expansão.

Na oportunidade, os participantes também puderam entender as funcionalidades dos projetos Câmera Interativa e Banda Estreita. O primeiro oferece às intituições a possibilidade do acesso da SSP às imagens de câmeras de segurança privadas para agilizar a tomada de decisões.

Já o segundo é responsável por promover a chegada de um novo Sistema de Comunicação Crítica Digital para unidades das polícias Militar, Civil e Técnica, além do Corpo de Bombeiros Militar implantadas no interior do estado, permitindo que a comunicação operacional entre as equipes policiais ocorra de maneira mais segura, por meio de Rádios Comunicadores Tetra, que serão distribuídos para as unidades e incorporados aos Centros Integrados de Comunicação (Cicoms) dessa e de outras regiões do estado, como forma de potencializar as atividades policiais.

O major Ricardo Assis, coordenador de operações PM da Superintendência de Tecnologias (Stelecom) da SSP, falou da importância de explicar detalhadamente sobre o funcionamento de cada sistema, reforçando que o trabalho de excelência só é realizado com uma comunicação completamente integrada.

“O nosso objetivo aqui é um só: deixá-los munidos do máximo de informações possível para que a interação entre o ser humano e a tecnologia seja de excelência”, concluiu.

Fotos: Kelly Hosana e Rafael Rodrigues

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.