Em moção, deputado enaltece dedicação de D. Murilo Krieger

O deputado Euclides Fernandes (PDT) apresentou Moção de Congratulações e Agradecimentos ao Cardeal D. Murilo Krieger em reconhecimento à dedicação e cordialidade que ofereceu à Bahia e aos baianos durante os nove anos em que esteve como Arcebispo Primaz do Brasil, dirigindo a Arquidiocese da Bahia. Durante esse período sempre teve uma palavra de conforto, motivação e paz para todos os que o procuraram. Na última terça-feira (10.03) o Papa Francisco anunciou a aceitação ao pedido de renúncia ao cargo  conforme  os princípios estabelecidos pelo Vaticano de que o Cardeal deve renunciar ao completar 75 anos. Esta semana, ao aceitar a renúncia, o Papa Francisco nomeou arcebispo Primaz do Brasil o Cardeal Sérgio da Rocha, atualmente Arcebispo de Brasília.

 Em uma das suas várias entrevistas D. Murilo Krieger  afirmou que “É essencial o diálogo. Entendo o diálogo com uma estrada de duas vias: somos chamados a ouvir o outro, para conhecê-lo e compreendê-lo; e devemos ter oportunidade de apresentar ao outro nossos pontos de vista – naturalmente, esperando também sermos escutados. Poderemos terminar o diálogo sem um consenso; crescerá, porém, o respeito mútuo. Já São Pedro, em seu trabalho missionário, no início do cristianismo, entendeu essa necessidade, quando escreveu: ‘Estai sempre prontos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que a pedir.”

Para o seu substituto encaminhou mensagem desejando sucesso como principal pastor dos baianos afirmando que  “O Senhor Bom Jesus do Bonfim, que com seus braços abertos acolhe todos os que sobem a Colina Sagrada, acolha este irmão que vem para a Bahia! Nossa Senhora da Conceição da Praia, Padroeira deste Estado, interceda por este seu filho! E Santa Dulce dos Pobres seja para o cardeal Dom Sérgio um exemplo de como ‘amar e servir”.

Dom Murilo é o 27º arcebispo da arquidiocese e o único a ter no currículo a honraria de ter sido o chefe da Igreja no momento mais importante para a história do catolicismo do Brasil: a canonização de Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres, a primeira santa genuninamente brasileira. “Eu nunca imaginei que isso iria acontecer. Quando eu cheguei à Bahia eu tinha certeza que Deus havia reservado para mim uma missão. Me alegra o coração de poder ter estado aqui nesse momento tão importante para a história da nossa igreja”, ressaltou dom Murilo, quando esteve no Vaticano para a celebração da canonização de  Irmã Dulce.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.