Empreendimento apoiado pela Prefeitura é reconhecido nacionalmente

A disposição de Karine Santos, 27 anos, aliada à perspicácia, à confiança e ao apoio que ela recebeu de alguns editais e de instituições que acreditaram em seu trabalho, foram alguns dos ingredientes que levaram a Wakanda Educação Empreendedora a decolar e a cumprir o seu propósito inicial de ajudar jovens da periferia que empreendem por necessidade.

Em janeiro de 2020, a startup foi contemplada pelo edital Projeto Impacto ICC, uma parceria entre o Parque Social, Prefeitura de Salvador e o Instituto Camargo Corrêa, que tem como objetivo apoiar ideias, negócios ou projetos de impacto social positivo.

Atualmente, a Wakanda acumula grandes feitos, como o fato de ter impactado 600 microempreendimentos com formações que têm fortalecido esses negócios. A idealizadora da Wakanda, Karine Santos, também comemora a conquista de ter sido reconhecida como uma das jovens mais influentes, empreendedoras e inovadoras do ano pela revista Forbes Brasil.

As propostas selecionadas receberam gratuitamente qualificação, suporte técnico, operacional, gerencial e estratégico. Além disso, antes da pandemia, tiveram acesso à estrutura física da incubadora In Pacto, com estações de trabalho, salas de reunião e espaço multiuso.

Para o coordenador técnico da In Pacto, Randerson Almeida, a participação de Karine, juntamente com o seu negócio, para receber o apoio da In Pacto com a tecnologia do Parque Social foi muito proveitosa tanto para ela quanto para a In Pacto. “Essa participação valida de forma bem expressiva a nossa tecnologia de acompanhamento e desenvolvimento de negócios de impacto social positivo em Salvador”, conta.

Formação – Neste momento, a Wakanda Educação Empreendedora já colocou em prática um dos produtos que fazem parte do planejamento, que é o Acelerando seu Corre, uma formação que busca potencializar mães, mulheres e empreendedores por necessidade. Ao todo, 242 pessoas se inscreveram e estão participando da formação pelo WhatsApp.

As inscrições para novas turmas estão programadas para o mês de março e deverão ser divulgadas pelas redes sociais da Wakanda no Instagram (@ wakanda_ educacao) e Facebook (Wakanda Educação Empreendedora). O curso está dividido em três módulos: Pega a Visão (conteúdo sobre gestão financeira), Corre no Digital (vendas e Marketing Digital) e Gestão Barril Dobrado (planejamento).

Toda segunda-feira são abertos esses três módulos no WhatsApp para as turmas. Os alunos recebem as videoaulas, conteúdos e exercícios para cada um dos cinco dias de duração do curso. Além disso, uma hora por dia é realizada uma aula ao vivo para tirar dúvidas.

“Está sendo incrível. Estamos tendo uma devolutiva muito massa das pessoas. Tivemos várias avaliações superpositivas sobre o vídeo e também sobre a aula ao vivo. Outro ponto positivo é que as aulas são compartilhadas no WhatsApp, que é um aplicativo que todo o mundo usa, portanto facilita o acesso à comunicação. Nós estamos atendendo pessoas, inclusive, do interior da Bahia, de outros estados e até de outros países”, diz Karine.

Ela conta que o objetivo principal do Acelerando seu Corre é auxiliar as pessoas de forma prática para que elas aprendam o conteúdo e possam usar no dia seguinte em seus projetos. Com o módulo Pegue a Visão, por exemplo, o aluno tem uma semana para fazer a precificação do produto ou serviço que desenvolve. Ao final do desafio, o participante sai com todos os passos executados e prontos, e esse aprendizado pode ser replicado para outro produto.

Premiação – Além de ter sido uma das selecionadas pelo edital Projeto Impacto ICC, a Wakanda participou, em novembro do ano passado, do 2º Desafio Salvador Resiliente – Mulheres e Tecnologia. Foi um dos negócios apoiados pela Fundação Avina com um recurso de 6 mil dólares (aproximadamente R$30 mil).

O desafio foi uma iniciativa da Estratégia Salvador Resiliente, fruto de uma parceria entre a Prefeitura, à época, por meio da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), a Rede Cidades Resilientes (RCN), Fundação Avina, BID Lab e Sebrae. Com o investimento da Fundação Avina, a Wakanda pôde ampliar a equipe de comunicação e melhorar a divulgação para ter um alcance maior. O recurso também foi utilizado para a compra de equipamentos que estão auxiliando na edição de vídeo e produção de conteúdo.

Randerson Almeida acrescenta que mesmo com os contratempos da pandemia, o ano de 2020 foi muito positivo para a Wakanda. “Durante a pandemia, Karine conseguiu implementar o projeto Máscaras por Nós e comercializou com o Instituto Camargo Corrêa e também com a CCR Metrô; ela participou do Edital Mulheres e Tecnologia, sendo finalista, participou de um ciclo de capacitação, foi premiada em quarto lugar com um recurso da Fundação Avina e participou também do reality de empreendedorismo Shark Tank, que foi outra grande vitória”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *