Força-tarefa une Frente Parlamentar do Setor Produtivo e ABRASEL para salvar milhares de empregos na Bahia

Na manhã desta quarta-feira (7), O presidente da Frente Parlamentar do Setor Produtivo, o deputado estadual Eduardo Salles, e o vice-presidente, o deputado estadual Tiago Correia, estiveram ao lado do presidente-executivo da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Luiz Henrique Amaral, em um movimento pacífico e apartidário junto às autoridades estaduais e municipais com o objetivo de entregar o documento que lista medidas de socorro ao setor de bares, restaurantes e eventos neste momento da pandemia. A carreata contou com centenas de carros e também com a presença de membros da Associação, sindicatos do setor, parlamentares e donos de pequenos negócios.

Na Governadoria, o documento foi entregue à representante da secretaria estadual de Relações Institucionais, Meire Souza, que se comprometeu a avaliar os pedidos e encaminhar o documento com celeridade ao governador Rui Costa.

Já na União dos Municípios da Bahia (UPB), o pleito foi recebido pela superintendente Raquel Santana, em nome do seu presidente e prefeito de Jequié, Zé Cocá. Por telefone, Cocá garantiu que o assunto será tratado com brevidade e levado às prefeituras do estado e ressaltou: “Estou de acordo e sensível às reivindicações do Setor. Precisamos garantir a sobrevivência dos pequenos e médios empresários nesse momento e achar um equilíbrio entre a preservação da saúde da população e a manutenção dos empregos”.

Segundo o deputado Eduardo Salles, não se trata de uma luta entre preservar vidas ou empresas. “O trabalho de isolamento feito pelo governo do estado teve bons resultados, graças às decisões acertadas do governador Rui Costa e dos prefeitos e a Bahia está tendo destaque na vacinação em nível nacional. Chegou o momento de se encontrar um meio termo para que as empresas não quebrem. Nossa busca é pelo entendimento entre Governo e prefeituras para que haja uma convergência de ações. Sabemos que todos os setores estão sendo afetados pela pandemia, mas os segmentos de bares, restaurantes, barracas de praia e afins estão entre os mais prejudicados”, afirmou o parlamentar.

A carreata seguiu para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda, onde a comitiva foi recebida pela secretária Mila Paes, que ouviu as demandas do grupo e se comprometeu a estudar o documento para tentar encontrar um denominador possível.

Para Luiz Henrique Amaral, as demandas da ABRASEL são cruciais neste momento, e alerta que as medidas precisam ser tomadas ou as consequências podem ser irreversíveis: “Pedimos, basicamente, que duas possibilidades sejam avaliadas: o funcionamento dos estabelecimentos até 22h e a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos fins de semana. Além disso, pleiteamos também a proibição do comércio de bebidas em vias públicas. Sem isso, cerca de 70% dos bares e restaurantes não serão capazes de se manterem abertos. Será um prejuízo sem precedentes”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *