“Valorizar a estética das mulheres negras é um mecanismo de autoafirmação identitária e racial”, diz Ireuda Silva no “Trancista Master”

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, vereadora Ireuda Silva (Republicanos), participou neste sábado (02) do “Trancista Master Construindo Uma Nova História”, no Novotel, em Salvador. O evento foi promovido pela cabelereira e empresária Ana Telles.

Ao todo, foram 10 trancistas premiadas: Negra Jhô, Silvia Leite, Mary Fashion, Raquel Cardoso de Souza Silva, Maria Olivia Fragoso, Biel Araújo, Michelle Reis, Denise Melo, Carol Mendez e Quênia Lopes. De acordo com Ireuda, que também é vice-presidente da Comissão de Reparação, as tranças constituem uma representação estética, cultural e histórica das mulheres negras. “Valorizar e enaltecer as tranças e outros elementos da estética das mulheres negras é um mecanismo de autoafirmação identitária e racial. Além disso, é uma forma de dialogar com nosso passado e nossa cultura afro, que é o que define nossa identidade e nosso lugar na sociedade brasileira”, aponta a republicana.

“Além disso, a arte de trançar tem possibilitado o fortalecimento financeiro para muitos profissionais do ramo. Portanto, parabenizo a brilhante iniciativa de Ana Telles e as talentosíssimas trancistas premiadas”, acrescenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *