Auditores-fiscais do trabalho entregam cargos de chefia na Bahia

Auditores-fiscais do trabalho na Bahia estão colocando cargos de chefia e coordenação à disposição para reivindicar a regulamentação do bônus de eficiência e demonstrar a insatisfação com o tratamento desigual que o governo federal vem dando à categoria em relação aos policiais de carreira federal.

Até esta quinta-feira (6), a Delegacia Sindical do Sindicato Nacional dos Auditores-fiscais do trabalho na Bahia (Sinait) registrou a entrega de oito cargos no estado.

Em âmbito nacional, mais da metade dos cargos já foram entregues. Dos 298 cargos de chefia e coordenação, 154 já foram colocados à disposição, o que representa 52% do total.

“Não podemos aceitar esse tratamento desigual com o funcionalismo público. Esse reajuste salarial exclusivo para policiais federais é um desrespeito com os servidores de outras categorias, que se dedicam tanto quanto eles”, explica o delegado sindical do Sinait na Bahia, Anastácio Gonçalves Filho.

Enquanto o governo federal se nega a valorizar o servidor público em âmbito nacional, governadores de 15 estados e do Distrito Federal anunciaram reajustes para os servidores públicos estaduais, segundo levantamento realizado pela Agência CNN.

Bônus de Eficiência

A entrega dos cargos é uma forma que os servidores de carreira encontram para pressionar o governo federal a dar celeridade à regulamentação do bônus de eficiência, previsto em lei há cerca de cinco anos.

O objetivo é fazer com que a minuta de decreto, que se encontra no Gabinete do ministro da Economia, siga sua tramitação até a Casa Civil e, de lá, seja encaminhada para a publicação no Diário Oficial da União, de forma conjunta com o decreto relativo à Receita Federal do Brasil.

O Bônus de Eficiência e Produtividade resultou da negociação salarial de 2015 e foi instituído em 2017 pela Lei 13.464.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.