Falta ao Brasil é políticos de caráter

Falta ao Brasil é políticos de caráter e comprometimento, com visão de desenvolvimento para criar e ousar polos em diversos setores para importar e exportar riquezas nas áreas, agrícolas, mineração, indústria, agroindústria, comércio e turismo, vide as referências e a história de Celso Furtado, Rômulo Almeida, dentre outros visionários que contribuíram para o crescimento do País. O descrédito nos Poderes é geral, a postura antiética e o desserviço prestados por algumas autoridades públicas levaram ao descrédito das decisões dos Três Poderes Constituídos. O conceito de moral que nossos pais e escolas nos transmitiram honestamente, fica confuso para o cidadão comum entender determinadas decisões dos representantes do povo, ações está discutíveis dentro da nossa concepção do que é certo e do que é errado.  A ÉTICA, portanto, é o estudo dos valores que regem a conduta humana subjetiva e social. É o parâmetro que temos para julgar as ações que beneficiam ou prejudicam a vida humana neste mundo e nesta sociedade. Infelizmente em nosso país, em se tratando de ética na política e no campo profissional, quase todas as ações contrariam as normas morais e os princípios éticos. Considerando o descrédito nos Três Poderes Constituídos, a sociedade precisa ler a Constituição da República Federativa do Brasil e exigir o cumprimento do artigo 37 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA “a administração pública direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e, também, ao seguinte: Leiam os Incisos I ao XXI e também o artigo 38. Queremos continuar alimentando a corrupção e as negociatas entre os partidos como é o caso do CENTRÃO no Congresso Nacional, em detrimento as causas de interesses da sociedade e do País?

Na conjuntura atual dos Poderes Constituídos, defendo que, quem tem que definir os novos rumos do Brasil não são os Partidos, não são os políticos e nem os Poderes, é o ELEITOR, consciente e responsável para com os seus DEVERES NAS URNAS com o objetivo de conquistarmos uma NAÇÃO educada, fraterna, solidária, menos egoísta e violenta em todos aspectos comunitários.

Visando cooperar com os futuros governantes do País, proponho desenvolverem uma gestão transparente e participativa na criação de um Programa de Pesquisa e Educação para o Desenvolvimento – PROPED  composto em Comitês com profissionais nas áreas de economia, administração, saúde, engenharia e tecnologia, dentre outras áreas com objetivo de estudar, avaliar, articular e atrair, industrias e empresas nacionais e estrangeiras para se instalarem nos Estados, visando a geração de riquezas, empregos, melhor distribuição de renda, aumento na arrecadação de tributos, crescimento socioeconômico dos Municípios e Estado além da permanência do “Homem” na Região.

Sociedade, vamos todos refletir melhor, qual é o Brasil que queremos para as futuras gerações? Um “Brasil, país onde o professor é chamado de Tio, o técnico de futebol de Professor, os pais e o idoso de você e o corrupto de Vossa Excelência?”.

Darcy Ribeiro em 1982 escreveu: “Se os governadores não construírem escolas, em 20 anos faltará dinheiro para construir presídios.” É o que todos estão assistindo com medo e pagando tantos IMPOSTOS E ALTOS SALÁRIOS DOS QUE REPRESENTAM A SOCIEDADE E O PAÍS.

Está escrito na Constituição Federal – Artigo 1º Parágrafo único. “Todo o poder emana do povo, que exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.” e no Art. 3º. “Constituem objetivos fundamentais da República: Inciso 1 – construir uma sociedade livre, justa e solidária; II – garantir o desenvolvimento nacional; III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”,

Eleitores, a opção de escolha dos representantes da cidadania para tomar decisões nos Poderes legislativo e executivo, é de cada eleitor, caso estejam satisfeitos com a volta da inflação, fome, miséria, desigualdades sociais, retrocesso socioeconômico e a violência cada vez mais crescente no País, mantenham o quadro político atual que ora lhes representam, caso contrário, “NADA MUDA SE VOCÊ NÃO MUDAR”.

É necessário observar o perfil e o critério do Caráter, competência e compromisso para votar nos candidatos, visando garantir os objetivos fundamentais da República.

O QUE FALTA NO BRASIL SÃO POLÍTICOS DE CARÁTER E VISIONÁRIOS! CARÁTER NÃO TEM PREÇO.

“QUEM NÃO LUTA PELOS SEUS DIREITOS NÃO É DIGNO DELES” RUI BARBOSA

Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Coordenador de Pessoal da Assembleia Estadual Constituinte de 1989 e Ex-Assessor Parlamentar na Assembleia Legislativa – www.aldericosena.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *