Ireuda Silva pede que todos os bancos possam pagar o auxílio emergencial: ‘É urgente o esforço para evitar o caos’

A vereadora de Salvador Ireuda Silva (Republicanos) pede que o auxílio emergencial a trabalhadores e pessoas de baixa renda seja pago de forma descentralizada através de bancos públicos e privados de todo o país. A medida visa acabar com as inúmeras filas e aglomerações nas agências da Caixa Econômica, o que pode agravar e intensificar a disseminação do coronavírus.

“Diante da pandemia existente, é necessário que as grandes filas sejam evitadas para que o risco de contaminação da população seja reduzido. Considerando que muitas pessoas estão dormindo nas filas das agências da Caixa, é necessário que o pagamento do Auxílio Emergencial do Governo Federal seja feito de forma descentralizada através de bancos públicos e privados para que aglomerações possam ser evitadas e a proliferação do coronavírus seja diminuída”, diz um trecho do projeto de indicação ao presidente Jair Bolsonaro protocolado na Câmara Municipal da capital baiana.

Conforme pesquisa do Plano CDE, divulgada nesta quarta-feira (06), 51% daqueles que pertencem às classes D e E perderam metade da renda ou mais por conta da pandemia, o que mostra a importância do auxílio emergencial. “Por outro lado, é necessário uma atenção redobrada sobre a parcela mais pobre da população, contribuindo para que ela se exponha o mínimo possível ao vírus. Caso contrário, e considerando que os mais pobres são também mais vulneráveis e com menos condições de se prevenir e se tratar, o número de contaminados poderá explodir. Portanto, o esforço para evitar o caos no país é urgente”, pontua.

Outros projetos

Ireuda também sugeriu ao prefeito de Salvador, ACM Neto, por meio de um projeto de indicação, que servidores que eventualmente contraiam o coronavírus e sejam afastados de suas funções recebam integralmente suas respectivas remunerações, sem prejuízo das gratificações.

Outra matéria prevê a concessão de gratificações especiais aos guardas municipais que estão auxiliando no combate à pandemia.

Ireuda também sugeriu ao governador Rui Costa e ao presidente Jair Bolsonaro, por meio de projeto de indicação, a criação de canais de atendimento telefônico, online e por aplicativo que amparem as vítimas de violência doméstica, oferecendo auxílio psicológico e jurídico e orientando-as sobre ações necessárias. A medida tem em vista o crescimento do índice de agressões contra mulheres durante a quarentena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *