Valmir defende prefeito de Central e diz que cassação “foi ilegal e fruto de perseguição política”

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) defendeu o prefeito de Central, Renato Pereira de Santana (PSB), cassado na tarde desta quinta-feira (13), e considerou o ato dos vereadores do município da Chapada Velha como “perseguição política”. Em seu pronunciamento, o parlamentar petista disse que o gestor ‘Renato do Boi’, como é conhecido na região, não “cometeu irregularidades” e que “a denúncia é totalmente descabida e o processo cheio de ilegalidades”. Assunção também disse que a ação é resultado de uma “chantagem” do vice-prefeito José Wilker Maciel (DC), “que deu um golpe” para assumir o comando da prefeitura.

“É a mesma coisa que sofreu a presidenta Dilma e a mesma perseguição que sofreu o presidente Lula. Mas assim como a justiça anulou as barbaridades contra Lula e o povo vai colocá-lo na presidência, esse processo será anulado e Professor Renato voltará ao comando. O que os vereadores de Central fizeram envergonha a cidade. ‘Renato do Boi’ foi eleito com quase 55% dos votos, isso tem de ser respeitado. Os golpistas criaram uma comissão processante repleta de irregularidades, fizeram uma denúncia sem pé nem cabeça e condenaram um prefeito honesto por algo que, se a moda pega, não sobra um prefeito no cargo. Porque todos os municípios têm dificuldades em fazer pagamentos do INSS, ainda mais quando pega uma prefeitura completamente falida como foi o caso de Renato em Central”, explica Valmir.

O prefeito também se defendeu das acusações. “Estava pagando 100% do segurado, e parte (de 70 a 80%) do patronal. Não pagava o 100% devido aos débitos exorbitantes que as gestões anteriores deixaram. O município não tinha condição de pagar o 100% do patronal. Eles se queixaram disso, fiz um acordo com o INSS, paguei, fiz o parcelamento, paguei a primeira parcela, está tudo quitado”, aponta o gestor. Para Valmir, a situação é mais um caso “que envergonha a classe política”. “Vamos defender o resultado das urnas, vamos defender porque acredito em Renato, homem simples, professor e trabalhador que se dedica à vida da cidade. Por isso não merece e não aceitaremos perseguição política justamente pela atuação transparente que ele realiza na região. Tenho certeza que o povo de Central não irá se dobrar a essa tirania”, completa.

Foto:  Vinicius Loures/Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.