Adolfo Menezes promete reagir a ataques ao estado democrático de direito

A exemplo do ex-ministro Carlos Ayres Britto (STF), presidente da ALBA exorta sociedade a rejeitar o ‘haraquiri’ da democracia no Brasil
O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Adolfo Menezes (PSD), na manhã desta sexta-feira (06.05), voltou a criticar os avanços sobre a institucionalidade brasileira, perpetrados pelo presidente Jair Bolsonaro. Defendeu o voto popular como ‘única arma’ para o retorno da democracia e prometeu reação aos ataques à Constituição Federal.
O brado do chefe do Legislativo estadual aconteceu durante a sessão especial da Casa, hoje, que concedeu a Comenda 2 de Julho ao advogado e Cônsul da Costa do Marfim, Carlos Eduardo Sodré, proposta pelo deputado Roberto Carlos (PDT).
“Neste momento em que o presidente da República golpeia a todo o instante a Constituição Federal e o estado democrático de direito, colocar no peito de Carlos Eduardo Sodré a Comenda 2 de Julho, cônsul, militante político e advogado de grande escol, é também o nosso recado: resistiremos e não retroagiremos”, prometeu.
Adolfo Menezes também destacou, no discurso, a força do voto popular na defesa da democracia e na reconstrução da imagem do Brasil no concerto das nações.
 “A única arma da sociedade para a mudança democrática é o voto. E é a que usaremos dia 2 de outubro, para devolver ao Brasil e a seu povo dignidade, assim como reabilitar a imagem do país no conjunto das nações”, explicou, Adolfo Menezes, que encerrou a fala com um leve improviso de uma frase do hino da Bahia: Com tiranos não combinam nossos corações.
O ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, em vídeo enviado à sessão especial, destacou as qualidades profissionais e de homem público do homenageado e ‘amigo’ e fez coro à vociferação de Adolfo Menezes acerca dos ataques à democracia.
“A democracia não atravessa os seus melhores dias. Não existe o cargo de supremo presidente da República. A democracia não tem vocação para o suicídio, para o haraquiri. Ela não pode se dispor a seu próprio funeral. A democracia tem que reagir”, conclamou Ayres Britto, exortando a sociedade brasileira a rejeitar o homicídio da democracia no Brasil.
Autoridades civis e militares da Bahia e de outros estados do país, notadamente do campo jurídico, representantes de diversos órgãos de Estado, lotaram o plenário da Assembleia Legislativa para prestigiar a concessão da maior honraria da Casa ao baiano de Itapé e cônsul da Costa do Marfim, Carlos Eduardo Sodré.
Foto: Sandra Travassos/ALBA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.