Bancada do PC do B da ALBA apresentada indicação para homenagear Haroldo Lima

A bancada do Partido Comunista do Brasil (PC do B) na Assembleia Legislativa encaminhou indicação ao governador Rui Costa para que o Hospital Metropolitano, em Lauro de Freitas, seja denominado Haroldo Borges Rodrigues Lima, “e que também seja produzido e instalado um monumento em homenagem ao extraordinário político”, ex-deputado Federal Constituinte, ex-diretor geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), laureado com o Título de Cidadão Benemérito da Liberdade e da Justiça Social João Mangabeira, concedido pela Assembleia Legislativa.
Eles afirmam no documento que “existem personagens extraordinárias” por possuírem “habilidades raras de antecipar tendências, romper conjunturas e ser atuais em todos os contextos e dinâmicas. Haroldo Borges Rodrigues Lima é um desses personagens que a musa suprema da memória e da criatividade forjou e capacitou para enfrentar desafios e fazer história”.
A indicação recorda toda a vida pessoal e política de Haroldo Lima, falecido por Covid-19 no último 24 de março, véspera do aniversário do Partido Comunista do Brasil, sua “casa política, social e intelectual”. Natural de Caetité, “ele é descendente do Barão de Caetité e do primeiro governador eleito do Estado da Bahia, Dr. Joaquim Manoel Rodrigues Lima” e sobrinho de Anísio Teixeira. Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), Haroldo Lima “foi um irrequieto líder estudantil” da Juventude Universitária Católica (JUC), da União dos Estudantes da Bahia (UEB) e da União Nacional dos Estudantes (UNE). Na década de 60, ao lado de outros militantes, fundou a Ação Popular (AP), “com vista a promover o enfrentamento ao regime militar antidemocrático”.
No extenso documento os deputados relembraram as ações e participações políticas do homenageado, realçando que ele “foi um bravo e destacado deputado federal, reconhecido pela imprensa nacional e por adversários políticos. Apresentou mais de 1.200 emendas à Constituinte em defesa dos trabalhadores e da soberania nacional e foi considerado um dos cabeças do Congresso Nacional pelo DIAP”.
Ao falecer, Haroldo Lima era consultor da área de petróleo e gás no Brasil, além de manter atividade política no PCdoB, “especialmente na formulação de ideias e na formação de novas lideranças”. Ao dar o nome de Haroldo Lima ao Hospital Metropolitano, o Governo do Estado estaria “reverenciando, neste equipamento tão significativo para o Estado, a trajetória de luta deste grande homem em favor de uma sociedade mais justa e igualitária e do desenvolvimento econômico e social para o povo baiano e brasileiro”.
A homenagem seria, também, “símbolo da resistência, em memória de todas as vítimas que sucumbiram à Covid-19, mas que lutaram até o fim contra o negacionismo, vestidas de esperança e solidariedade, no intuito de vencer essa batalha contra o vírus, em busca de dias melhores para todas e todos”.
A indicação, assinada pelos deputados estaduais Olívia Santana, Zó, Bobô e Fabrício Falcão, contou com o apoio do presidente Estadual do PCdoB, secretário do Trabalho, Emprego e Renda, Davidson Magalhães, e dos deputados federais Daniel Almeida e Alice Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *