Capitão Alden cobra de Rui Costa medidas para redução de assassinatos de policiais

O deputado estadual Capitão Alden usou as redes sociais para cobrar do governador Rui Costa ações efetivas para que o número de assassinatos de policiais reduzam na Bahia. Para embasar o seu posicionamento, o parlamentar usou de dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) e do Atlas da Violência.
De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a Bahia aparece com mais de 6.700 casos de assassinatos no ano de 2020, ocupando a primeira posição entre todos os estados do Brasil. Para o deputado, estes números mostram a falta de investimento em políticas públicas e ações efetivas da gestão de Rui Costa e de Jaques Wagner para o setor.
“A Bahia protagoniza os piores números de violência do país, estando a frente até do Rio de Janeiro e de São Paulo. Só este ano, de acordo com dados da própria SSP, já registramos mais de 1390 assassinatos. E os dados continuam assombrosos: nos últimos 16 anos, período onde o PT está no Governo do Estado, já foram registrados mais de 89.582 assassinatos, segundo o Atlas da Violência. Tudo isso é reflexo da falta de políticas públicas e ações concretas na área da Segurança Pública por parte dos gestores”, disse Capitão Alden.

Segundo a Polícia Militar da Bahia, em 2021, 48 policiais morreram no estado, sendo 7 em serviço, 22 em suas respectivas folgas, 9 por Covid-19 e 10 na reserva. O número deste ano já supera o do ano passado. Em 2020, foram registrados 41 óbitos de PMs.
Na Polícia Civil, de acordo com dados do órgão, os números também assombram: só neste ano já foram registradas 25 mortes de policiais civis, sendo 1 morte em serviço, 10 na folga, 10 por Covid-19 e 4 aposentados. No ano passado foram 5 óbitos, sendo 4 por Covid-19 e 1 morte em serviço.
Vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o parlamentar ainda cobrou que o governador Rui Costa focasse em ações efetivas e esquecesse a promoção de propagandas da imprensa.
“Eu gostaria de viver na terra da propaganda ‘tamanho G’ que o Governo do Estado mostra na TV diariamente. Esse é o legado do PT. É o legado da violência. Governador, assuma suas responsabilidades, não tente jogar a culpa no Governo Federal ou nos próximos candidatos ao Governo do Estado. Este legado quem construiu foi você”, afirmou.
O deputado ainda lembrou das mortes de policiais neste final de semana em Salvador e no interior da Bahia, prestando solidariedade aos familiares, mas também salientando que os assassinatos dos oficiais não podem ser esquecidos.
“A Bahia é um dos estados que mais perdem policiais, tanto por conta da violência urbana, quanto pelos casos de suicídio. Os policiais estão sendo caçados, mortos e abatidos. O pior e mais escandaloso é que essas mortes estão sendo banalizadas. Vivemos tempos de incertezas, sem mecanismos legais eficientes que punam os transgressores. O que nos resta é chorar pelos nossos mortos, nos resignar, nos proteger e jamais aceitar como ‘normal’ o padrão que está se desenhando em nossa sociedade. Minha solidariedade, força e apoio aos amigos e familiares dos colegas abatidos recentemente em serviço. Que Deus proteja a Bahia, os baianos e os policiais”, pontuou Capitão Alden.
Nos últimos dias, três mortes de policiais militares ganharam a mídia. O primeiro, no sábado (11), foi o soldado Antônio Elias Matos Silva, de 31 anos, da Rondesp Sul, quando fazia ronda em Porto Seguro. Dois dias depois, o tenente Mateus Grec de Carvalho Marinho, 35 anos, da Rondesp Atlântico, foi baleado durante confronto com traficantes no bairro de Cosme de Farias, em Salvador. Nesta segunda-feira mais um registro: o policial Joanilson da Silva foi confundido por um ladrão por policiais militares de Petrolina (PE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *