Empresa que presta serviço de segurança à Caixa Econômica na Bahia descumpre obrigações trabalhistas

De acordo com denúncias recebidas pelo deputado estadual, Samuel Júnior (PDT), a empresa Interfort Segurança apresenta irregularidades como a falta de depósito do FGTS dos trabalhadores, além do não pagamento das horas extras, ticket de refeição e vale transporte
O deputado estadual, Samuel Júnior (PDT), encaminhará ao Ministério Público do Trabalho da Bahia um ofício para investigar a atuação da empresa Interfort Segurança no estado. De acordo com denúncias recebidas pelo parlamentar, a terceirizada que presta serviço à Caixa Econômica Federal apresenta várias irregularidades como a falta de depósito do FGTS dos trabalhadores, além do não pagamento das horas extras alusivas aos sábados e feriados trabalhados, ticket de refeição e vale transporte.
Os colaboradores também reclamam da falta de pagamento do um terço de férias gozadas e alegam ainda que a empresa não disponibiliza novos fardamentos há quase dois anos.
“Vamos acionar o Ministério Público do Trabalho para que o órgão possa cobrar a resolução imediata da situação. É inadmissível que os vigilantes que já estão sendo expostos a um grau ainda maior de riscos por conta da pandemia, tenham a dignidade ferida pelo descumprimento de direitos trabalhistas essenciais. Caso a Interfort Segurança não regularize a situação, a Caixa Econômica deve ser responsabiliza solidariamente. O que não podemos aceitar é que pais e mães de família continuem sofrendo por estarem submetidos a condições inadequadas de trabalho”, justificou Samuel Júnior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *