Fundação Pedro Calmon integra a Comissão Nacional em homenagem aos 200 anos de Independência do Brasil

Em 2022, o Brasil estará comemorando duzentos anos como nação independente. A Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBa) participa da Comissão Nacional que está baseada em nacionalizar a celebração da Independência do Brasil na Bahia, divulgar a independência como fato histórico e promover uma reflexão crítica sobre os 200 anos de emancipação política.

A Comissão Nacional do Bicentenário, criada em 2017, tem a finalidade de coordenar as atividades, eventos e os projetos relacionados às comemorações do ducentésimo aniversário da Independência da República Federativa do Brasil, que busquem relembrar e registrar os marcos históricos.

Segundo o diretor geral da FPC, Zulu Araújo, o papel da Fundação é “promover a identidade baiana” e para isto, será montada uma comissão estadual composta por setores do governo estadual e municipal, além da sociedade civil. Para Zulu, a participação das universidades, movimentos sociais e organizações não governamentais “são de extrema importância, pois impulsionará uma profunda reflexão acerca do papel dos baianos neste processo”.

Zulu destaca que as ações pertinentes a FPC, culminarão na celebração do dois de julho, além de ser a maior festa cívica, possui uma dinâmica por ser protagonizada pela população. Todo ano a FPC organiza, coordena e executa ações da Rota da Independência, que constitui um roteiro por onze cidades que participaram da luta pela independência, que vai de Caetité, passando por Santo Amaro, Cachoeira, São Félix, Itaparica e findando em Salvador.

Sob a expectativa de ampliar a participação popular, as ações buscarão tratar o papel da democracia para garantia da liberdade. Aproveitando o momento para levantar discussões e questionamentos de como se pode aumentar o sentido de independência, liberdade, igualdade e fraternidade para o momento atual.

Fotos: Divulgação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *