Projeto do Governo do Estado irá produzir 100 toneladas de pescado por ano no Médio Rio de Contas

A partir deste ano, a Barragem de Pedras, que banha os municípios de Iramaia, Jequié, Manoel Vitorino e Maracás, poderá se transformar em uma privilegiada fonte de renda para pelo menos 20 famílias de produtores da região do Médio Rio de Contas.
Um plano de trabalho firmado entre a Bahia Pesca e a Cooperativa dos Piscicultores de Tanhaçu e Região (Coopstar) está viabilizando a implantação de 50 tanques-redes na barragem, garantindo a produção de cerca de 100 toneladas de pescado por ano.
A Coopstar foi a vencedora do chamamento público realizado pela Bahia Pesca, em dezembro de 2020, e receberá cerca de R$ 500 mil para ações de regularização ambiental dos empreendimentos e reestruturação da produção em viveiros escavados.
Para Alan Oliveira, presidente da cooperativa, o recurso irá possibilitar o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva na região. “Para nós, produtores, esse investimento significa um produto final com maior valor agregado, o que será vendido por um preço maior, trazendo mais lucro e melhores condições de vida para nossas famílias”, afirma.
O presidente da Bahia Pesca, Marcelo Oliveira, explica que o projeto prevê também a aquisição de licenças ambientais. “Fizemos um levantamento na região e percebamos uma carência muito grande de alevinos e subsídios para dar uma alavancada na atividade. O recurso do projeto será investido na compra de peixes reprodutores geneticamente melhorados e ração, além da requalificação do laboratório de produção de alevinos. Com essas novas ferramentas, poderão aumentar sua produtividade e a qualidade de vida no trabalho”, destaca.
Panorama
Assim como outros setores da economia baiana afetados pelos efeitos da pandemia de Covid-19, a pesca e a aquicultura também vivem um momento desafiador. Apesar disso, mesmo num período repleto de incertezas, a produção de alevinos da Bahia Pesca em 2020 cresceu 18% em comparação ao ano anterior, chegando à marca dos oito milhões de peixes criados nas estações de piscicultura da empresa. A produção de caranguejos também aumentou no mesmo ritmo, alcançando quatro milhões de megalopas (estágio larval do crustáceo).
Além de recursos financeiros, o Governo do Estado, por meio da Bahia Pesca, também apoiou os produtores com assistência técnica gratuita. Mais de cinco mil famílias foram beneficiadas. Os piscicultores de Itaetê, a 390 quilômetros de Salvador, por exemplo, começaram a receber em setembro o dinheiro da linha de crédito disponibilizada pelo Desenbahia, com o apoio da Bahia Pesca, para a região. Nesta primeira etapa, 20 famílias de agricultores rurais foram beneficiadas com R$ 400 mil. No total, o projeto beneficiará cerca de 100 famílias que atuarão em sistemas de condomínio.
Em 2021, além do projeto na Barragem de Pedras, outro destaque será a implantação de um parque aquícola na barragem de Ponto Novo, que irá dinamizar a piscicultura na região e servirá como projeto piloto para a criação de outros parques aquícolas em todo o estado. O empreendimento demandará investimentos da iniciativa privada de aproximadamente R$ 5 milhões. A área do parque será de cerca de oito hectares, com produção estimada em aproximadamente 700 toneladas de peixe por ano.

Foto: Jan Penalva/Bahia Pesca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *