Projeto visa propor melhorias para tornar espaços públicos mais seguros

Na noite da segunda-feira, cerca de 30 pessoas – majoritariamente mulheres – saíram a pé a partir do Hub Salvador, no Comércio, em direção ao Pelourinho. Durante o trajeto, foram convidadas a apontar as sensações positivas e negativas que a caminhada proporcionava. A ação faz parte do projeto Caminhar Afro-feminino, atividade que integra o Plano de Turismo Étnico-Afro, desenvolvido pela Prefeitura por meio do Prodetur Salvador e com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Caminhar Afro-feminino é uma metodologia participativa de diagnóstico da movimentação nos espaços públicos com perspectiva de gênero, realizada pela ONG SampaPé, cujo trabalho é produzir conhecimento e engajar o poder público a partir das experiências de quem vive no local. Mais uma caminhada será realizada pelo mesmo grupo, nesta quarta-feira (22), desta vez durante o dia, no qual os participantes vão colaborar em conjunto para mostrar suas perspectivas sobre a experiência nos espaços públicos.

Os resultados serão compilados em um relatório final, com a apresentação de desafios e problemas, além de proposta de soluções em políticas públicas e mudanças no espaço construído para ser mais amigável e acolhedor para meninas e mulheres, principalmente negras, para caminhar e estar.

Rotas turísticas – De acordo com a coordenadora do Núcleo de Ações Turísticas do Prodetur Salvador, Simone Costa, a ação dá início a um projeto-piloto para criação de rotas turísticas afrocentradas. “Desde a construção do Plano de Turismo Étnico-Afro, apostamos na metodologia participativa como um processo que, além de mais efetivo, colabora com o pertencimento de quem faz o turismo afro acontecer”, explica.

Além de afroempreendedores e guias de turismo, as caminhadas contaram com a participação de representantes da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), Fundação Gregório de Mattos (FGM), Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) e Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

Foto: Jefferson Peixoto/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *