Usam a morte para fazer politicagem, diz Robinson Almeida

“De forma covarde e desrespeitosa, o gabinete do ódio tenta politizar a trágica morte do policial militar em Salvador. A categoria esperava de seus supostos representantes na Assembleia atos em solidariedade e apoio, mas o que se viu até aqui foram ações coordenadas nas redes sociais e discurso de ódio contra o Governo do Estado. Usam a morte para se promover e fazer politicagem”. A declaração é do deputado estadual Robinson Almeida (PT), que repudiou na manhã desta segunda-feira (29) as ações de parlamentares e lideranças da oposição ao Governo do Estado.

“Está evidente que é uma ação orquestrada pelo presidente da República, com objetivos políticos” acrescentou o deputado petista, que lamentou a morte do policial Wesley Soares Góes e solidarizou-se com a família do servidor público. Em entrevista a Rádio Excelsior, Robinson recordou que, segundo a Polícia Militar, todos os protocolos internacionais de gerenciamento de crises foram adotados para evitar que ocorresse um desfeito trágico.
O deputado criticou quem se aproveita da tragédia para atacar adversários políticos e lembrou que os aliados de Bolsonaro na Bahia em nenhum momento, por exemplo, se mobilizaram para pressionar o Governo Federal a comprar mais vacinas que garantissem a imunização dos trabalhadores da segurança pública contra o Coronavírus.

“Gastam toda sua energia com discurso de ódio quando deveriam trabalhar para pressionar o governo federal a comprar vacinas, garantir inclusive a imunização dos trabalhadores da segurança pública e salvar vidas brasileiras. Mas os bolsonaristas trabalham como aliados do vírus, atuam como adversários do povo brasileiro,” concluiu Robinson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *