Valmir diz que armazém no Pelourinho marca a inserção do MST na cultura e gastronomia de Salvador

A inauguração do Armazém do Campo levou uma multidão para a Rua Santa Izabel, no Pelourinho, em Salvador, para o show de Margareth Menezes e para prestigiar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Presente ao evento na noite de sábado (11), o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) reafirmou que essa rede nacional de lojas de produtos da reforma agrária insere o movimento na cultura e gastronomia da capital. Assunção também falou de política e da importância de eleger Jerônimo (PT) governador e Lula (PT) presidente. Ele sinaliza que a loja no Centro Histórico é um marco de resistência e de luta do MST.

“Esse armazém é um símbolo de resistência, pois para chegarmos aqui dezenas de militantes foram presos, apanharam da polícia, outros foram assassinados e outros se perderam no caminho, mas muitos resistiram. Infelizmente, 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil. E tem muita gente que acha que isso é só um número, porque não passa fome, nunca passou. É preciso resgatar o período em que o povo comia de manhã, meio-dia e de noite. O MST sinaliza para essa esperança, que é a volta do presidente Lula para acabar com a fome, restabelecer a democracia no Brasil e voltar a debater a reforma agrária”, frisa Valmir.

O deputado petista também diz que o povo brasileiro “não deve, de forma alguma, aceitar o atraso”. Ele aponta que na Bahia, Jerônimo será eleito no primeiro turno. “Falam que não conhecem Jerônimo, mas também ninguém conhecia Wagner e Rui e ganharam no primeiro turno. E digo que Jerônimo vai ganhar também, digo isso por confiar no trabalho desenvolvido anteriormente pelos companheiros e por Lula no projeto nacional”, sintetiza. Para Assunção, o armazém do MST também será um polo de cultura. “Precisamos enfrentar Bolsonaro em todos os aspectos, porque para ele a cultura não serve para nada. Agricultura familiar nem se fala. Quando se trata de políticas sociais ele abandonou. O debate de Bolsonaro é com o Supremo Tribunal Federal [STF]. Mas o problema do nosso povo é desemprego, fome e distribuição de renda”, completa.

A inauguração do Armazém do Campo contou com a presença de Tatiane Rodrigues, esposa de Jerônimo, dos dirigentes do MST Evanildo Costa e João Paulo Rodrigues, do senador Jaques Wagner (PT-BA) e da esposa Fátima Mendonça, Dandara Ferreira, cineasta, além da secretária de Mulheres da Bahia Julieta Palmeira, a reitora da Uneb Adriana Marmori, o vice-reitor eleito da Ufba, Penildon Filho e artistas como Lua e Ernesto Xavier, a rapper Preta Rara e a cantora Margareth Menezes, que fez show. Também participaram o secretário estadual de Segurança Pública e o pré-candidato a deputado estadual pelo Psol, Marcos Rezende. O armazém está localizado no Pelourinho e abre de terça a sábado de 10h à meia-noite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.