Legislativo e IGHB lançam livro em homenagem a Consuelo Pondé de Sena

Em uma concorrida cerimônia, o livro Consuelo Pondé de Sena (in memoriam) foi lançado na tarde desta quarta-feira (29) em uma parceria da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) com o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), entidade à qual a historiadora homenageada dedicou 19 anos da sua vida. A obra foi organizada pelo professor Edivaldo Machado Boaventura, que faleceu em agosto de 2018.
A solenidade realizada no auditório do IGHB, na Piedade, Centro de Salvador, reuniu amigos e familiares da homenageada e do organizador do livro que possui cerca de 370 páginas preenchidas por textos de Consuelo, entrevistas, manifestações de pesar, pronunciamento da família, galeria de fotos e uma biografia da ex-gestora do instituto baiano.
O deputado Eduardo Salles (PP) esteve no ato de lançamento do livro representando o presidente da ALBA, Nelson Leal (PP). Em seu discurso, destacou a trajetória de Consuelo Pondé de Sena. “A história dela se confunde com a história da Bahia. Sem dúvida, pudemos aprender muito com a professora. Essa casa está de pé graças à ex-presidente Consuelo”, atribuiu.
O parlamentar também falou da iniciativa do Parlamento da Bahia com o selo ALBA Cultural, que já lançou 350 obras literárias desde sua implantação. “Estamos com quatro volumes sendo impressos, dentre eles estão duas biografias, uma sobre Ruy Barbosa e outra do artista Genaro de Carvalho”, contou Salles. O legislador agradeceu, na oportunidade, ao IGHB pela colaboração na edição do livro em homenagem a Consuelo Pondé de Sena. “Com esse trabalho, preservamos a trajetória de uma mulher singular”.
ALEGRIA
Eduardo Morais de Castro, presidente do IGHB, agradeceu à ALBA pela parceria na edição do livro. O lançamento da obra, disse o dirigente, foi um momento de alegria por “vivenciar Consuelo”. “O livro retrata diversas participações de Consuelo na imprensa. Não posso deixar de destacar a lembrança do professor Edivaldo Boaventura, organizador desse livro. Ele dedicou sua inteligência e trabalho a essa obra”, lembrou.
Autor da apresentação da publicação, Morais de Castro mencionou ainda o papel preponderante de Consuelo Pondé na história do instituto que preside atualmente. “Se hoje temos o IGHB de portas abertas aos pesquisadores, público em geral, mantido e ampliado os estudos e registros sobre a geografia, história e ciências afins, agradecemos a Consuelo”, frisou.
O presidente ainda anunciou uma novidade ao falar sobre a história do professor Edivaldo Boaventura: publicará dois livros deixados pelo organizador da obra de homenagem a Consuelo.
José Nilton Carvalho Pereira, vice-presidente do IGHB, traçou um paralelo entre a homenageada e o organizador da obra. Em comum, assim como muitos outros intelectuais, disse Perreira, ambos tinham consciência de que estavam chegando ao fim da vida. O orador ainda citou Guimarães Rosa, que, ao discursar em sua cerimônia de posse na Academia Brasileira de Letras, afirmou: “As pessoas não morrem, elas ficam encantadas”. Dois dias depois, o escritor viria a falecer. “Os intelectuais pressentem o fim da vida”, arrematou José Nilton.
A cerimônia contou ainda com a presença de personalidades como a professora Maria Hilda Paraíso, representando o reitor João Carlos Salles; o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco; o coronel Valter Menezes, diretor de comunicação da Polícia Militar da Bahia, representando o comandante-geral da corporação, coronel Anselmo Brandão; a filha da homenageada, Luísa Pondé, entre outras.

Divulgação/AgênciaALBA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.