Projeto de organização francesa sobre oceanos encanta alunos da rede municipal em Salvador

Com o objetivo de promover a cultura oceânica, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) levou, na manhã desta quarta-feira (13), 120 alunos da rede municipal para visitação virtual no navio da organização francesa Tara Océan. Em Salvador desde o domingo (10), a embarcação ancorada na Marina, na região do Comércio, pôde ser vista pelos alunos, através de uma exposição feita no Hub Salvador.

Os estudantes do 5º ano das escolas municipais Bom Juá, Afrânio Peixoto, Colina do Mar e Recanto dos Coqueiros se encantaram com o barco laboratório, que tem como missão estudar o microbioma oceânico e suas interações com o clima, bem como o impacto da poluição nos oceanos.

Os estudantes foram divididos em quatro turmas, nos turnos matutino e vespertino. O percurso pedagógico teve duração de uma hora. A experiência gerou a descoberta da microbiologia viva do oceano e o encantamento dos jovens.

O diretor de Relações Internacionais da Fundação Tara, André Abreu, destacou a importância de criar programas educativos sobre a questão da biodiversidade e beleza do oceano, e as ameaças causadas pelas mudanças climáticas. “Ação como essa pode inspirar jovens a buscar soluções para uma economia azul sustentável. A visitação traz um pouquinho de informação científica de maneira estruturada para os alunos dessas escolas”.

Abreu contou que, na França, a organização trabalha com educação nacional há mais dez anos e, hoje, mais de 160 instituições de ensino aplicam o conteúdo pedagógico do Tara nos programas escolares. “A gente acredita que é um desafio colocar o oceano no currículo escolar, sobretudo em uma cidade como Salvador, que é um local de vocação marítima, com uma história de navegação e ligação com mar. A cidade tem um potencial muito grande”, afirmou.

“Não dá para educar com o medo da catástrofe, então a gente tenta explicar que o oceano é agredido e se adapta às mudanças, mas existe uma conectividade que faz com que ele se regenere. E realmente o tema traz a abertura para tratarmos sobre sustentabilidade, economia circular, limite do consumismo, superprodução de produtos industrializados e muito mais”, completou Abreu.

O diretor de Inovação da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (Semit), Luis Gaban, acompanhou a visita e ressaltou a relevância do tema. “A gente está tratando de inovação e tecnologia trazida pelo Tara Océan, que viaja o mundo pesquisando sobre a biodiversidade dos nossos oceanos. Então, mantivemos contato com eles e fizemos uma grande articulação para atender os alunos da rede municipal. Acreditamos que é extremamente importante o envolvimento das crianças, para que elas conheçam e entendam cada vez mais sobre o ecossistema marinho”, disse.

Encantamento –  Ao final das oficinas que mostraram a importância de explorar, entender e proteger os oceanos, os estudantes destacaram o encantamento pela vida a bordo. “O Tara é um barco detetive, os tripulantes vivem muitas aventuras em busca de soluções ambientais. Eu achei muito interessante, legal e diferente. Deu para aprender bastante”, disse Gabriela Moura, de 10 anos, aluna da Escola Municipal Bom Juá.

As experiências do Tara Ocean também geraram consciência ambiental em alunos como Sofia Nascimento, de 11 anos, que falou sobre os conhecimentos adquiridos durante a visita. “A gente viu que as tartarugas podem ser sufocadas pelo saco plástico que jogamos fora e o pássaro marinho morre com a barriga cheia de garrafa pet”, disse.

História – Com 18 anos de atuação, a Fundação Tara Océan é a primeira fundação de utilidade pública reconhecida e dedicada ao oceano na França. Tem duas missões principais: explorar o oceano para melhor compreendê-lo e partilhar conhecimentos científicos sobre a vida marinha com objetivo de criar maior consciência cidadã e coletiva.

Foto: Otávio Santos/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *