A infertilidade é uma doença reconhecida pela OMS e investigar sua causa o quanto antes é fundamental para reverter o problema

Todos os anos, no mês de junho, é celebrado o Mês Mundial da Fertilidade. O mês tem como objetivo chamar a atenção para as pessoas com dificuldades em ter filhos biológicos, como também para os avanços da medicina que atualmente ajudam muitas mulheres e homens a realizarem o seu desejo de serem mães e pais. A infertilidade atinge em torno de 15% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em números, são entre 50 e 80 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, estima-se que 8 milhões sofram com o problema. Ou seja, um a cada cinco casais tem dificuldade para engravidar e precisa de ajuda especializada. “Os índices são alarmantes e faz com que muita gente simplesmente desista do sonho ou imagine que ser infértil é algo comum. Mas é importante que se investigue o que está causando essa situação. Com o avanço da medicina reprodutiva e da tecnologia, muitos casos são possíveis de reverter ou tratar, de modo que o casal possa seguir com o tão sonhado crescimento da família”, explica a especialista em reprodução humana, Dra. Isa Rocha, médica da Cínica IVI Salvador.

Dra. Isa Rocha, médica da Cínica IVI Salvador

É considerado infértil, o casal que já tenta engravidar sem o uso de métodos contraceptivos há mais de um ano, e não obtém sucesso. Mas não precisa entrar em pânico! Ao detectar dificuldade em engravidar, é importante procurar um médico especialista, pois os números crescentes de sucesso em tratamentos de reprodução assistida têm sido um alento aos pacientes. E nem sempre a gravidez não acontece por causa da mulher. As causas dessa doença estão distribuídas igualmente entre homens e mulheres (por volta de 35% cada), além de um percentual referente à infertilidade sem causa aparente. Com dados tão alarmantes, é bastante comum ver alguém comentar sobre um caso de infertilidade. Mas o problema não deve ser motivo para desistir do sonho de ter um filho. Por isso, o mês de junho é tão importante para a conscientização a respeito dessa doença, que em muitos casos tem cura, principalmente por meio dos avanços da medicina reprodutiva.

O avanço das técnicas na medicina reprodutiva tem trazido alívio a pessoas que sofrem com infertilidade. Um levantamento realizado no IVI Salvador mostra que entre 2018 e 2019, a eficácia de fertilizações com óvulo próprio foi de 40,29% no primeiro tratamento. No Segundo, sobe para 58,2%. Já no terceiro, o índice chega a 69,73%. A análise PGT, Teste Genético Pré-Implantacional é um dos fatores que colabora muito no sucesso da Fertilização In Vitro (FIV). É um processo que identifica os embriões com alto potencial de implantação através da análise dos genes e cromossomos.

As técnicas de reprodução assistida se mostram um alento não só a casais que detectam a infertilidade. É sempre bom lembrar que elas também são uma opção a casais homoafetivos e a mulheres ou homens que pretendem realizar uma maternidade/paternidade independente.

Causas da Infertilidade

Quando olhamos o lado das mulheres, a causa mais comum de infertilidade é a endometriose. A doença, que tem sintomas bastante semelhantes às dores da menstruação, às vezes chega a demorar anos para ser identificada e quanto mais tardio o diagnóstico, mais difícil tende a ser o tratamento. “O que precisamos é que as mulheres se cuidem, se conheçam e tenham um acompanhamento correto. A endometriose não tem cura, mas pode ser controlada.”, ressalta Dra. Isa. O fator idade também precisa ser analisado. Mulheres, ao longo da vida, vão perdendo a capacidade reprodutiva. Recomenda-se, inclusive, às mulheres que estejam perto dos 35 anos que busquem congelar seus óvulos, para assim preservar sua fertilidade.

A infertilidade do casal pode também ser um problema do homem. A baixa contagem de espermatozoides ou a baixa qualidade do material é a principal causa masculina do problema. Ou até mesmo ambas combinadas. A idade do homem também interfere na qualidade do material genético. Acidentes na região peniana, como trauma, também podem gerar infertilidade. Ou ainda o uso de substancias anabolizantes. A varicocele, entretanto, costuma ser a causa mais comum de infertilidade masculina.

Para homem ou mulher, ter Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), também pode originar infertilidade. Outros fatores que podem vir a causar a doença estão ligados ao estilo de vida, consumo de bebidas alcoólicas, fumo, nível de estresse e qualidade da alimentação. “Se o casal vem tentando normalmente engravidar, sem sucesso, é interessante que procure logo um especialista que vai investigar a causa dessa infertilidade. Evitar desgastes na relação por causa desse insucesso momentâneo é fundamental”, conta Dra. Isa.

Sobre o IVI – RMANJ

IVI nasceu em 1990 como a primeira instituição médica em Espanha especializada inteiramente em reprodução humana. Desde então, ajudou a criar mais de 250.000 crianças, graças à aplicação das mais recentes tecnologias em Reprodução Assistida. No início de 2017, a IVI fundiu-se com a RMANJ, tornando-se o maior grupo de Reprodução Assistida do mundo. Atualmente são em torno de 80 clínicas em 9 países e 7 centros de pesquisa em todo o mundo, sendo líder em Medicina Reprodutiva. Em 2022, a unidade IVI Salvador completa 12 anos. https://ivi.es/ – http://www.rmanj.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.